Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

CORREIO DE CARAJÁS: Alunos de jornalismo da Unifesspa visitam Grupo Correio

Publicado: Sexta, 14 de Outubro de 2022, 16h02 | Última atualização em Sexta, 14 de Outubro de 2022, 16h02 | Acessos: 719

Veículo:  Correio de Carajás

Data: 09/06//2022

Link: https://www.unifesspa.edu.br/unifesspa-na-midia/6103-correio-de-carajas-para-sindunifesspa-momento-e-de-unidade-e-luta-pela-educacao

Acadêmicos do Campus de Rondon do Pará passaram tarde conhecendo redações de TV, Portal, Jornal e Rádio Correio

Editor do Correio de Carajás, Ulisses Pompeu descreve a trajetória e posição geográfica do Grupo Correio
 

Em uma tarde regada a conhecimento, troca de experiências e aprendizado, 10 alunos do curso de jornalismo da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), com sede em Rondon do Pará, estiveram na sede do Grupo Correio de Comunicação, em Marabá, na tarde desta quinta-feira (6) para entenderem, na prática, o que o futuro da área lhes aguarda.

O tour dos jovens e da professora Ingrid Bassi começou pelo estúdio da Rádio Correio FM. Os estudantes puderam ver de perto como funciona a transmissão das informações pelos microfones do locutor e radialista Sandro Oliveira, e como elas chegam até os ouvintes que sintonizam a 90.5hMz, de seus veículos, celulares e até computadores.

Em seguida, a reunião tomou forma na redação do Portal Correio de Carajás e do jornal Correio. Ulisses Pompeu, editor do site, tomou a rédea do encontro nesta fase para explicar minuciosa e dinamicamente o nascimento do jornal Correio Tocantins, pai do portal e atual impresso.

Com seus 26 anos na família Correio, e vivência de sobra para poder narrar todos os passos dados até o atual momento do grupo, o diretor-revisor reviveu, através de suas maiores armas como profissional: as palavras, os caminhos percorridos até que a informação pudesse ser transmitida instantaneamente pelas redes sociais, como funciona hoje.

Cada canto da plataforma digital foi explorado e apresentado aos convidados como uma pequena excursão. Do clássico esqueleto do site até o novo bebê do Portal: WebStories, os jovens e a educadora ficaram por dentro de como a internet é o verdadeiro artifício da equipe para ampliar o jornalismo a um ambiente sem fronteiras e de um reduto de eternas novas possibilidades, diante do mundo tecnológico que vivemos.

Mudando o foco da conversa e trazendo a perspectiva da transformação da notícia a mão para o espaço virtual, Chagas Filho, repórter da Correio TV e do Portal, falou sobre algumas adaptações necessárias para o panorama atual do jornalismo. Ele destacou a cautela de se transmitir notícias com assuntos sensíveis como o suicídio. Em uma apresentação com um “antes e depois” de como esse tema era abordado, trouxe exemplos de comparação entre o próprio Jornal Correio do Tocantins na década de 1980 e da plataforma digital atual.

Jornalista Angélika Freitas apresenta estúdio da TV Correio e motiva acadêmicos para atuação no mercado regional

A turma deu um giro pela empresa e pôde conhecer os diversos departamentos que integram o Grupo Correio, como a efervescência da gráfica e a seriedade dos setores comerciais e do departamento de recursos humanos.

Estudantes e professora Ingrid junto à imensa impressora que roda o Jornal Correio

Por último, e longe de ser menos importante, os bastidores da TV também foram curiosamente explorados pelos futuros jornalistas. Em um discurso inspirador que mesclou experiência e conhecimento, a diretora e apresentadora do departamento, Angelika Freitas, revisitou os desafios da profissão, na prática, como mulher e uma das pioneiras da região.

A “Mana”, como gosta de ser chamada, manifestou e transmitiu a grande paixão pelo trabalho, sem deixar de pontuar que o jornalismo é um conjunto de meios de comunicação e, estar disposto a trabalhar em cada um deles é a fórmula perfeita para a receita ideal de um profissional que terá a base sublime para ter o conhecimento de transmitir com maestria a informação como a sociedade carece e tem direito, prestando o verdadeiro serviço de um comunicador.

Sobre a visita, o aluno Kennidi Junior mostrou-se contente e muito agradecido pela oportunidade: “Estou no 5º período do curso e ter essa chance única de ver de pertinho como o jornalismo funciona em tantas esferas, veiculando a verdade pelo telejornalismo, rádio, impresso e virtualmente, desperta ainda mais em mim a vontade de me profissionalizar na área. Foi edificante”, sintetizou.

Kennidi Junior: “Apreciei a chance única de ver de pertinho como o jornalismo funciona em tantas esferas”

Para a docente Ingrid Bassi, que dentre outras disciplinas leciona Jornalismo Comunitário e Alternativo para a turma que participou da visita, o mais próximo do segmentado do jornalismo local, regozija a reunião entre o veículo e os alunos e a entende como uma forma de inspiração e perspectiva.

Professora Ingrid Bassi avalia que a experiência de visitar a Redação é uma riqueza imaterial para os estudantes

Ela, que também é professora de História do Jornalismo e Teorias do Jornalismo, cita a oportunidade como imprescindível para os alunos que nunca tinham tido essa introdução visual, com uma empresa jornalística. “Ver jornalistas, viver o ambiente, ver o quão real é isso é muito importante, pois esses jovens possuem uma demanda específica, muitos nunca nem tinham tido contato com o espaço físico de um Jornal”, concluiu, citando toda a experiência como uma riqueza imaterial. (Thays Araujo)

registrado em:
Fim do conteúdo da página